Prefeitura de Coelho Neto dá calote em mães com decisão judicial para pagamento de pensão alimentícia

A prefeitura de Coelho Neto, na gestão do atual prefeito Bruno Silva (PP), parece determinada a por um fim ao histórico de boa pagadora construída ao longo de 4 anos da gestão petista.

Aplicando calotes em educadores, que estão tendo suas gratificações reduzidas ao mínimo; em contratados da saúde, que desde o início da gestão passaram a receber apenas um salário mínimo sem qualquer tipo incentivo; e em motoristas, que também estão recebendo apenas um salário limpo e seco para desempenharem suas funções; quem também passou a ficar sem dinheiro foram as mães que tem decisão judicial para receber pensão alimentícia descontada diretamente dos salários dos pais.

Segundo uma mãe, que entrou em contato com o blog Observatório dos Cocais, a gestão do prefeito Bruno Silva deixou mães e filhos sem o pagamento das pensões alimentícias referente ao mês de janeiro, e até agora não houve pagamento referente ao mês de março. “Espalharam que pagamento de fevereiro saiu dia 23, o pai do meu filho recebeu salário neste dia, mas até agora não tive o depósito da pensão feito na minha conta. Onde foi parar o dinheiro?”, questiona.

Pesquisando sobre o assunto, fiquei sabendo que durante a gestão do ex-prefeito Américo de Sousa (PT) houve um acordo para que o pagamento das referidas pensões fosse realizado sempre até o quinto dia útil após o pagamento dos salários. Tecnicamente, se o pagamento acontece dia 30, a pensão alimentícia deveria ser creditada pela Prefeitura de Coelho Neto nas contas indicadas pelas mães até o dia 05 do mês seguinte.

A mesma mãe, relatou que em contato com pai do seu filho, foi informada que o desconto no salário referente a pensão tem sido feito normalmente, mas que não entende porque o dinheiro não foi repassado em janeiro e fevereiro.

“Estão descontando o dinheiro mas não estão repassando para o pagamento das pensões alimentícias, já esta indo para o segundo mês. Já começo a ficar com medo de passar necessidade”, revelou a mãe aflita.

A mãe espera que com o assunto indo para as redes sociais, a prefeitura de Coelho Neto se posicione sobre o assunto, e que o dinheiro da pensão em atraso, que é tão necessário para a família, seja quitado rapidamente. “Quem tem fome tem pressa”, confidenciou.

Voltamos a qualquer momento com mais informações.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *