O prefeito é Arquimedes, mas quando ele viaja…

Prefeito de Afonso Cunha Arquimedes Bacelar
Segundo
relatos que tem chegado até este blogueiro, quem tem ido até a prefeitura de
Afonso Cunha tratar qualquer assunto que seja com o prefeito Arquimedes Bacelar
(PTB), muitas vezes chega no palácio municipal e não encontra o gestor no
gabinete, e quase sempre nem sequer na cidade ele está. Mas inusitado mesmo é a
orientação que recebem, quando o prefeito não está, as pessoas são encaminhadas
para atendimento com Dona Conceição, mãe de Arquimedes.

Arquimedes posa ao lado da mãe com diploma de Prefeito
Não
é novidade para ninguém a grande influência que D. Conceição exerce sobre o
filho, e ninguém tinha dúvidas do papel relevante que ela teria na gestão de
Arquimedes. Mas daí a tomar decisões em nome do município, chegando até a decidir,
sozinha, pela contratação ou não de pessoas pelo poder público municipal, isso
já é extrapolar as coisas.

Arquimedes entrega a mãe um buquê de flores durante cerimonia de Posse
Prefeitura
não é extensão da casa do prefeito, é preciso haver separação entre o público e
privado. Dentro do poder público há toda uma hierarquia, temos logo abaixo do
prefeito o vice-prefeito, o presidente da câmara, os secretários municipais, os
vereadores. Então muito me impressiona, que uma pessoa estranha a administração
municipal usurpe as funções constitucionais do vice-prefeito, tomando todas as decisões
na ausência do titular. Isso é atropelar as instituições democráticas da cidade!

Agora
pergunto, Afonso Cunha não tem vice-prefeito que possa substituir Arquimedes
quando ele viajar, precisa realmente ser mãe dele?

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *