O outono do General


Ontem
o jornalista Carlos Machado, fazendo uso de seu blog anunciou que o Prefeito
Soliney (PMDB), falará novamente a TV Difusora. Essa será a segunda entrevista
do prefeito em menos de um mês. Fico imaginando o que o prefeito pode ter a
falar que já não tinha dito antes. Ele já destilou fel, já falou de sua grandeza,
já fez promessa de para o mês que não cumpriu e até já atacou o prefeito
eleito. O que mais falta? Só for apenas para se despedir, e desejar uma boa
virada de ano, um vídeo de 1 minutos resolvia. Agora falar por meia hora e
dizer coisas sentindo, aí já não dá.

Sem
falar no desperdício de dinheiro público que todo esse teatro é. Não custa
lembrar que Carlos Machado é funcionário do município, paga pelo município,
então seu tempo e nosso dinheiro seria muito bem empregado falando e mostrando
o que deve ser dito. O descaso com nossa cidade!
Nesse
fim de ano nossa cidade não teve uma mísera lâmpada de natal pendurada em um
poste, não teve um boneco de barro sequer na praça fazendo as vezes de presépio,
não teve pano vermelho amarrado em lugar algum. Natal aqui foi como se comemora
em cidade de judeus, não existiu. Somos judeus?

Isso
para não falar da coleta de lixo que simplesmente parou. Para não falar dos
médicos na UPA e Maternidade que sumiram, a até a nora do Soliney não aparece
mais lá já tem um tempinho, apenas a Gemma ficou. Teve o prédio da prefeitura
sem energia por quase um mês. Temos a maternidade em risco de fechar a qualquer
momento, e a UPA podendo parar também. Sem falar nos salários não pagos!

Mas
ele hoje vai na TV, vai falar do grande governo que fez. O que pode ser
verdade, pelo menos até o meio do ano, mas que segundo a Controladoria Geral da
União não foi tão bom assim! Pode querer falar que os salários estão em dia,
apesar de que é uma meia verdade, mas que não passa de uma mentira completa.

Extrato bancário retirado ontem.
Servidor ainda não viu na conta um real do salario.  
Não
existe salario em dia quando você demite pessoas com 3 meses de salários atrasados,
não existe salario em dias quando muitos ainda não receberam. Quando muitos
ainda estão de panelas vazias e contas no prego. Não existe salario em dia
quando um pai de família não tem um centavo sequer para uma simples lembrança de
natal para os filhos!

É
senhor prefeito, hoje você vai na TV falar, espernear e pode até chorar. Mas o
fim é esse, triste e melancólico. Se não para o senhor que tem mesa farta, será
para uma centena de servidores do município pendurados em contas e que amargam
a incerteza. E será para milhares de coelhonetenses, que o senhor abandonou.   
Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *