Janot pede abertura de inquérito contra 83 políticos com foro privilegiado

Prédio do STF
O procurador-geral da República,
Rodrigo Janot, solicitou nesta terça-feira a abertura de 83 novos inquéritos
contra políticos envolvidos no caso da Lava Jato. O pedido de inquérito ao
Supremo Tribunal Federal (STF) foi feito “a partir dos acordos de delação
premiada assinados por 77 executivos e ex-executivos das empresas Odebrecht e
Braskem”, informou o Ministério Público Federal (MPF).

O MP não divulgou a identidade dos
suspeitos nem os fatos que deram origem às ações, em razão do caráter sigiloso
do processo. Por tratar-se de um pedido ao STF, em cada ação há pelo menos um
político com foro privilegiado (ministros ou parlamentares) envolvido. No mesmo
inquérito também podem estar pessoas sem o foro privilegiado, mas estreitamente
relacionadas com os delitos investigados, informou um porta-voz do MPF.

Procurador Geral da Republica Rodrigo Janot pediu abertura de inquérito contra Politico com foro Privilegiado 

O Supremo deverá analisar agora as
provas e os depoimentos para decidir se há elementos para sustentar os pedidos
de investigação e formular as denúncias correspondentes. O Ministério Público
solicitou ainda a abertura de outros 211 inquéritos envolvendo denúncias contra
pessoas que não têm foro no Supremo.

Janot pediu ao STF a quebra do sigilo
de todo o material, para “promover a transparência e garantir o interesse
público”. A liberação do material – aproximadamente 500 GB de arquivos
digitais – depende da decisão do ministro encarregado do caso no STF, Edson
Fachin. Até que isto ocorra, os depoimentos e documentos permanecerão em uma
“sala-cofre” do Supremo, a qual “apenas funcionários autorizados
têm acesso”, informou a assessoria do STF.

Repercussão

Senador Maranhense Edson Lobão é um dos citados por delatores da Lava Jato

O ex-ministro de Minas e Energia e senador maranhense Edson Lobão reagiu ao pedido de abertura de inquérito, e aparentou algum desconforto.  “Não
vejo nenhuma razão maior para tensão. Vários senadores já estão submetidos à
investigação e muitos deles, inclusive eu, temos tido esses inquéritos
arquivados por falta de completa procedência das delações”, falou o senador
maranhense Edson Lobão.

Colaboração: Estado de Minas 
Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *