Governo que não cuida, MATA!

O Brasil vive atualmente sua maior crise na saúde e sanitária, com o governo federal omitindo-se em fazer seu papel o número de mortos e infectados pela COVID-19 só cresce, mesmo que hoje já tenha não só uma mas várias vacinas disponíveis no mercado, muito pouco tem sido feito para o impedir a proliferação do vírus, diminuir o contágio e baixar a média de mortes.

A inércia que acomete o Governo Federal também ataca em Coelho Neto, onde a prefeitura hoje lidera pelo “menino” Bruno Silva (PP) muito pouco faz para conter o avanço do vírus, e assim impedir que mais de nossos amigos seja vítimas fatais dessa infame doença.

Sem medida restritivas eficazes, Bruno Silva tenta conter crise emitindo decretos de meia lauda, com uma vigilância sanitária que não age, sem barreiras sanitárias, sem distribuição de máscaras e álcool em gel, e com muita propaganda.

Até o final de dezembro de 2020 cerca de 1820 pessoas foram infectadas por COVID-19 em Coelho Neto, tendo registrado no ano 40 óbitos pelo vírus

Em meio a tanta inércia, os números de infectados em 04 meses de 2021 já alcança os números de todo 2020. Se ano passado 1821 pessoas foram infectadas, entre janeiro e abril, este anos Coelho Neto teve 1715 pessoas infectadas; em 2020 foram 40 óbitos causados pela COVID-19, neste ano já são 34 óbitos.

Ano passado a média de infectados em Coelho Neto era de 6,45 por dia; neste ano com medidas de restrição inexistentes, sem barreiras sanitárias, sem fiscalização nas ruas e nos comércios, e com lockdown “de faz de conta”, são 14 novos infectados por dia!

Em 2020, a média de óbitos era de 0,147/dia; em 2021 a média dobrou, passando a ser 0,286/dia óbitos.

Com um governo que nada faz, a população paga o preço de enfrentar a pandemia com a saúde desprotegida e, infelizmente, em alguns casos paga com a própria vida.

A pergunta que fica é, se o governo agisse seriamente e com rigor no combate ao vírus, quantos de nossos amigos ainda não estariam aqui conosco?

Voltamos a qualquer momento com mais informações.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *