Deputado Rafael Leitoa explica paralisação temporária nas obras da BR-135

O deputado Rafael Leitoa (PDT) apresentou, na manhã desta quarta-feira (6), os argumentos que levaram o Tribunal de Contas da União (TCU) a paralisar, temporariamente, os trabalhos de duplicação da BR-135, no trecho entre Entrocamento e Miranda.
Segundo ele, a paralisação foi técnica, apesar de as alterações no projeto já se mostrarem necessárias em um Acórdão de 2014. Aproximadamente 60% do valor da obra está relacionada a um método da década de 1960, “Dimensionamento de Pavimento Flexível”, do engenheiro Murilo Lopes, e este será substituído por um método mais moderno, que levará em conta a quantidade de veículos que circulam no trecho, impulsionados pelo Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram), a inacabada Refinaria de Bacabeira e o turismo na região.
Em conversa com o deputado federal Rubens Júnior (PCdoB), Leitoa informou que a bancada federal maranhense já está em contato com o TCU e tem reunião marcada para a próxima semana com o DNIT, em Brasília. O parlamentar também reforçou a necessidade da Comissão de Obras e Serviços Públicos da Assembleia fiscalizar, assim como fez durante o processo de conclusão do primeiro trecho da BR-135, cobrando, também, a celeridade da obra.
“A expectativa do DNIT é que, até o fim do mês de maio, seja reiniciada toda a obra no trecho da BR-135, mas ela está paralisada em alguns aspectos e outros itens da obra poderão ser feitos durante esse tempo, como obras de artes. Se o período chuvoso permitir, obviamente”, finalizou.
Da Assessoria
Faça um comentário