COELHO NETO: Vídeo monitoramento poderá ser desmontado!

No 2° semestre de 2020, por ocasião das festividades do aniversário da cidade, a população de Coelho Neto foi presenteada com vários benefícios, dentre os quais a instalação do vídeo monitoramento com 62 modernas câmeras de vigilância instaladas em pontos estratégicos da cidade.

Com a central de imagens funcionando dentro do Quartel da Polícia Militar, as guarnições atuam de forma mais precisa no atendimento de ocorrências e na elucidação de qualquer prática criminosa que esteja dentro do raio de alcance do sistema.

Contudo, estranhamente desde o início de 2021 alguns pontos do vídeo monitoramento sofreram (huuuuum), digamos que “acidentes”. Pela mais pura coincidência as câmeras que monitoram entrada e saída da cidade foram “vítimas” de “atropelamento”; já as câmeras que ficam no cruzamento da Avenida Santana com Rua 13 de maio sofreu ataque de vândalos; e as câmeras posicionada na Rotatória do Balão, curiosamente após intervenção do governo municipal, surgiu com seus fios cortados e o poste de fixação “ameaçando” cair.

Só nestes quatro locais, temos 12 câmeras foram de operação. Isso que estamos sabendo, sabe-se lá quantas outras podem estar em situação semelhante pela cidade. Chama atenção, que até aqui não há registro de qualquer iniciativa da prefeitura de Coelho Neto atrás de responsabilizar as pessoas por trás destes “acidentes”, muito embora as câmeras tenham gravado tudo, o que permitia a devida investigação e identificação dos responsáveis.

Nem preciso mencionar, que com 12 câmeras a menos o trabalho da polícia através do vídeo monitoramento fica comprometido. O que termina atrapalhando na investigação e elucidação de crimes.

Mas isso não é só, existe hoje dentro da prefeitura de Coelho Neto um movimento para retirar a central do vídeo monitoramento da polícia militar e instalar em outro local, transferindo a responsabilidade pelo vídeo monitoramento para pessoal contratado pela prefeitura.

Cabe lembrar, que não existe hoje em Coelho Neto uma guarda Municipal constituída, logo se a prefeitura de fato tomar o vídeo monitoramento da polícia militar uma série de questões precisam e devem ser discutidas, como o Por quê de remover a polícia militar do controle do vídeo monitoramento e quem vai operar o sistema?

Sem esquecer, que o governo municipal precisa esclarecer quando as câmeras que estão fora de operação serão reparadas e se os responsáveis pelos danos ao patrimônio municipal foram identificados e responsabilizados pelos seus atos.

Voltamos a qualquer momento com mais informações!

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *