COELHO NETO: Prefeitura paga pensões sem reajuste!

Ao que parece o setor de pagamentos da prefeitura de Coelho Neto anda mais perdido que cego em tiroteio, produzindo todos mês para os servidores municipais uma novela diferente.

Desde que iniciou a gestão do prefeito Bruno Silva (PP), pensões alimentícias com decisão judicial para desconto no salário de servidores municipais não era cumpridas. E quando começaram a pagar, foi com atraso.

O pagamento referente a dezembro só caiu no início de fevereiro, janeiro e fevereiro só começaram a ser pagos na última terça-feira (02/03), e após muita pressão. Contudo, mesma pagando a Prefeitura de Coelho Neto ainda fez errado, pois pagou sem reajuste, segundo relato das mães pensionistas.

Como bem sabemos, todos os anos o valor do salário mínimo é reajustado, em 2021 o reajuste foi de 5,26%, elevando o salário mínimo de R$ 1.045,00 para R$ 1.100,00. Sobre as pensões, acontece o seguinte, quando o juiz sentencia o pagamento de pensão alimentícia ele não define um valor fixo, uma vez que periodicamente o salário aumentará, e em raras ocasiões pode diminuir, então, visando o melhor para pai, mãe e filho, o juiz determina que o pagamento seja feito com base em porcentagem, levando em conta o valor do salário mínimo ou valor bruto recebido pela parte ré, o que for maior.

Por exemplo, se a parte ré ganha por mês apenas um salário mínimo (R$1.100,00), o juiz poderá sentenciar ao pagamento de pensão em 20% do salário recebido, que ficará em R$ 220,00 ao mês. Com isso, o pagamento da pensão sendo dado pela porcentagem do salário, o valor a ser pago é reajustado sempre que o salário aumentar ou diminuir, isso é lógica simples, e como já disse no início do texto, o salário aumentou no início do ano.

Mas a equipe do prefeito Bruno Silva não tem seguido a lógica, e os pagamentos referentes aos meses de janeiro e fevereiro foram feitos sem o devido reajuste.

Demoraram para pagar, provocaram enorme preocupação às famílias, e quando fizeram, pagaram menos do que deveriam. Agora, somem ao não reajuste das pensões, o corte das gratificações pagas aos educadores, que agora ganham apenas o mínimo; a retirada do incentivo para os profissionais que atuam na saúde; e redução no valor do salário pago aos motoristas contratados… Nesta gestão, servidores municipais, seja contratado ou concursado, só estão tendo perdas e até agora não há qualquer previsão de que vai melhorar.

Voltamos a qualquer momento com mais informações.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *