CAXIAS: Desgastada, oposição fica à deriva

Esta cada vez mais latente o desgaste de “el trio” que faz oposição na Câmara de Vereadores de Caxias. Thais, Tevi e Edilson parecem encarar o parlamento como uma obra de teledramaturgia, onde eles insistem em criar um roteiro baseado em sua maioria em “ouvi falar”, “me disseram” e contam com a fantástica ajuda do zap zap. É!, vire e mexe eles estão nas redes sociais nos famosos “selfs”.

Na segunda-feira, na sessão após o recesso, o “el trio” desdenhou das inaugurações promovidas pela Prefeitura entre os dias 1º a 3 de agosto em Alusão aos 196 anos de Caxias. Cada um buscou focar um tema para minimizar a administração municipal.

Da esquerda para direita, vereadores oposicionistas Tevi, Thais Coutinho, e Edilson Martins

Thais Coutinho criticou a divulgação por parte do município da aquisição de mais de R$ 3 milhões em medicamentos e questionou a reforma e ampliação do Hospital Geral, se ela havia mesmo acontecido!?

Edilson Martins também fez críticas, deixando a entender que não havia reforma no Hospital Geral. Já em um momento nostálgico, ainda lembrou que a Rodoviária havia sido inaugurada em 1996 e, se emocionou ao lembrar o autor da obra, portanto, em outras palavras, a reforma de agora para ele, seria um blefe.

Já Tevi foi mais enfático e se colocou em uma posição espinhosa, disse que os vereadores não falam a verdade sobre a saúde e, que nenhum parlamentar ganharia seu voto se continuasse com essa afirmação. Entendeu? Ele estaria disposto a votar em outra pessoa na próxima eleição? Ah!, ele lembrou dos poços artesianos que foram inaugurados, e que segundo ele, o município estaria fazendo festa em cima de obras do Estado.

Após todos esses remakes, os demais vereadores abriram a íris do “el trio” e puseram todo aquele convercê por terra.

O primeiro foi Mário Assunção, respondendo à Thaís Coutinho. Lembrou que na administração do seu primo o ex-prefeito Léo Coutinho, a grande obra deixada na saúde nos últimos meses de sua gestão, foi justamente o fechamento do Hospital Geral. Pontou que agora trata-se um Complexo Hospitalar, com mais leitos, profissionais e especialistas. Sobre os medicamentos deu exemplo de que outras cidades não conseguem comprar nem o básico e parabenizou a parceria com deputados que alocaram verbas para o setor.

O vereador Ximenes também lembrou das vicinais recuperadas, mais de 300 km, que na gestão anterior, se quer mandavam um patrol.

Todos os vereadores usaram da palavra. Sobre o novo Terminal Rodoviário com sala climatizada e wifi livre para frequentadores, das escolas reformadas e ampliadas, assim como mais de 20 unidades básicas de saúde, algumas já funcionando em período integral.

Sobre a aquisição de veículos com placas de outro estado, tema questionado pelo vereador Edilson, veio a resposta na lata: Licitação. Oh, parlamentar, vai dizer que você não sabe o que é licitação?. Você ou alguém que conheça alguma vez já comprou carro em outro estado e teve que transferir a documentação para cá; isso é trâmite normal.

Para Tevi que citou os poços, vale lembra que o Estado tem participação sim, mas se o município não fosse em busca, o benefício não chegaria à essas comunidades, isso se deve a parcerias e convênios.

E para o “el trio” que ainda duvida que foram mais de 100 obras, é só solicitar o material de divulgação, porque convite para participar vocês tiveram, não foram porquê… sei lá, inventaram cada desculpa!

Antes que eu esqueça, dentre vários temas levantados, o presidente da Casa vereador Catulé, enfatizou a mágoa sobre fechamento na administração dos Coutinho do único hospital psiquiátrico do interior do Estado que funcionava em Caxias.

Depois de ouvir todas essas justificativas, parecia que o navio do “el trio” perdeu a vela, ficando à deriva… E como diz o ditado “Para barco sem rumo, não há vento favorável”.

Faça um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
Olá 👋
Como podemos te ajudar?
Envie-nos uma mensagem agora para obter ajuda.
Powered by